6 Festivais no Deserto Que Você Precisa Conhecer - Pulso

6 Festivais no Deserto Que Você Precisa Conhecer

Pense rápido: o que vem à sua mente ao ouvir as palavras “deserto” e “festival”? Ousamos dizer que Burning Man e, é claro, Coachella. O primeiro, originário do Black Rock Desert, em Nevada, Estados Unidos, rola desde 1986 e, em poucas palavras, visa celebrar as mais diversas formas de arte de forma desafiadora, como um verdadeiro experimento social (leia: Burning Man: O Maior Festival Sem Rastros do Mundo).

Créditos: I Hate Flash!
Créditos: I Hate Flash!
Créditos: I Hate Flash!
Créditos: I Hate Flash!

Já o segundo, famigerado evento californiano, surgiu em 1999 e, desde então, reúne grandes nomes da música mundial e tornou-se um ícone da cultura mainstream, propagando até um estilo próprio de se vestir que se espalhou e virou desejo pelos quatro cantos do planeta (leia: H&M Lança Coleção em Parceria com Coachella).

Créditos: I Hate Flash!
Créditos: I Hate Flash!
Créditos: I Hate Flash!
Créditos: I Hate Flash!

Por aqui, também já te contamos do Desert Trip, o “Oldchella”, que será realizado pela primeira vez em outubro deste ano, e do Stagecoach, sediado no mesmo local dos dois eventos anteriormente citados, com o diferencial de ter uma pegada country e voltada para as raízes norte-americanas.

E se você achava que esses eram as únicas festas que faziam (literalmente) o deserto ferver, está muito enganado. Pensando em como essa combinação rende bons frutos, decidimos elencar os 6 outros festivais imperdíveis nessa mesma vibe e os motivos pelos quais você deve agarrar o passaporte e se aventurar por aí.

1. Nowhere (Espanha)

Apesar de ter sido inspirado pelo Burning Man, o Nowhere remete aos primórdios do evento norte-americano e é uma versão, digamos, mais roots do festival. Realizado anualmente no início do mês de julho em Monegros, em Zaragoza, Espanha, o evento preza pelas expressões artísticas e culturais em suas mais variadas formas e também funciona no esquema de “não deixar rastros”.

nowhere

Destaque para a área intitulada The Middle of Nowhere (MoN), na qual workshops, debates e atividades lúdicas são promovidas durante a semana do festival, e também para o Costume Camp, onde os entusiastas podem pegar fantasias e outros acessórios emprestados.

2. Further Future (Estados Unidos)

O Further Future surgiu em 2015, em Las Vegas, e procura quebrar as barreiras não só dos festivais tradicionais como também dos transformativos. Por lá, temas como música, arte, ciência, empreendedorismo e inovação são pautados no que há de mais novo na tecnologia e o olhar para o futuro é latente. Segundo o próprio site do evento, o propósito do FF é formar uma nova sociedade sem fronteiras, na qual possamos construir tudo de maneira colaborativa.

Créditos: I Hate Flash!
Créditos: I Hate Flash!

O evento costuma rolar em abril e é frequentemente definido como “o Burning Man da elite” por apresentar um viés mais luxuoso que sua inspiração, além de contar com palestras (incluindo debates sobre pós-capitalismo e pós-democracia, por exemplo), workshops, tratamentos de spa, alta gastronomia e hospedagens confortáveis.

Parte do público é composta por empreendedores do Vale do Silício, executivos de grandes empresas (Google, Facebook, Clear Channel) e curiosos em geral.

Em 2016, alguns artistas no line-up foram &ME, Anchorsong, Andy Stott, Caribou, Four Tet e Nicolas Jaar.

3. Desert Daze (Estados Unidos)

Neste ano, o californiano Desert Daze chega à quinta edição e se consolida como um dos festivais mais interessantes da prolífica região.

Realizado em meados de outubro em Joshua Tree, o evento oferece um mercado com produtos artesanais, food trucks, jantares formais, suquerias, instalações de arte, livraria, lojas de conveniência e até promove que estudantes se candidatem a vagas de estágio por lá.

desert daze

No âmbito musical, o dito “Coachella que não se vendeu” também não deixa à desejar. Só em 2016, o festival contará com apresentações do The Sonics, Deerhunter, Andrew W.K, Beach Fossils, Primus, Godspeed You! Black Emperor, Deafheaven e Radio Moscow, dentre outros, durante três dias. O show do Suicide, duo liderado pelo ícone Alan Vega, foi cancelado devido à morte do artista em julho deste ano.

4. AfrikaBurn (África do Sul)

O AfrikaBurn é uma espécie de parente internacional do Burning Man (leia: Conheça o AfrikaBurn, o Filho Mais Velho do Burning Man) e, apesar de organizado pelos mesmos profissionais, foi criado apenas em 2007 em Tankwa Karoo, na África do Sul. Assim como o Nowhere, ele é um prato cheio para aqueles que desejam uma experiência ainda mais diferenciada e fora dos holofotes.

Créditos: I Hate Flash!
Créditos: I Hate Flash!

Sediado numa fazenda, o AfrikaBurn conta com um clima semiárido que se assemelha (e muito!) ao de Black Rock City, sendo, inclusive, geralmente mais intenso. Os dez princípios do Burning Man também são regras por lá e um 11º ensinamento, “Um Ensina Ao Outro”, foi adicionado ao festival africano, justamente para engajar ainda mais os participantes. Sets de DJs estrelados, muita criatividade e um visual incomparável definem o AfrikaBurn e o tornam um must go para qualquer fã da Playa.

5. Trans-Pecos Festival of Music & Love (Estados Unidos)

Fundado em 2005, o Trans-Pecos é um dos grandes eventos de Marfa, no Texas. Inspirado pelos hippies, nômades e boêmios, o festival apresenta conceitos hinduístas e fomenta diversos workshops, dentre eles o preparo de receitas afrodisíacas, bebidas botânicas, yoga, customização, dança, tie-dye, crochê, pintura e até palestras sobre o uso de plantas medicinais, talismãs e amuletos.

Para completar, ainda rolam sessões de tarô, partidas de beisebol, área de tratamentos para bem estar, jantar comunitário, café da manhã beneficente e até um açougue (!) com carnes selecionadas.

TRANS PECOS 2015

Realizado em El Cosmico, o festival rola durante três dias, sempre em setembro, e é organizado por um grupo de lifestyle gurus do Bunkhouse Group. Algumas das acomodações incluem trailer dos anos 50, tendas e yurts, uma espécie de cabana circular muito usada por pastores nômades da Mongólia.

No line-up deste ano, artistas como Kacey Musgraves, Nathaniel Rateliff & The Night Sweats, Neko Case, The Wild Feathers e Ben Kweller marcarão presença no deserto texano.

6. Life is Beautiful (Estados Unidos)

Também realizado em Las Vegas, o Life is Beautiful reúne educação, música, culinária e arte num mesmo local há três anos. Além disso, o festival é bastante envolvido em causas humanitárias e apóia diversos núcleos de caridade da região.

2015 Life Is Beautiful Festival - Day 1

A lista de atrações é sempre bastante diversificada e subdividida em 4 pilares: music, art, taste e ideias.

Murais de arte urbana, instalações e experiências imersivas se misturam a um line-up gastronômico (!!!) com inúmeros restaurantes, chefs e food trucks consagrados com todos os tipos de comida imagináveis.

Além disso, palestras com expoentes em suas áreas de atuação, como Bryan e Bad Manning, Shepard Fairey, Maysoon Zayid e Emily Greener são esperadas para este ano. Em edições anteriores, o público pôde conhecer mais a fundo o Pussy Riot, Tony Hsieh e Lizzie Velásquez, por exemplo.

lib-food-04

No line-up desta edição, Jane’s Addiction, Leon Bridges, Highly Suspect, Bloc Party, Temper Trap, The Shins, Flume, Major Lazer, entre outros.

Posts Relacionados