29 de maio de 2015/POR Luiz Guimarães

* por Luiz Guimarães

Se a ideia de conhecer o principal festival de réveillon no roteiro da cultura trance no mundo te interessa, saiba que está na hora de começar a se preparar para a 13a edição do Universo Paralello.

Passar o réveillon, do verbo francês réveiller, que significa “despertar”, não poderia ser uma oportunidade melhor de viver a experiência que o Universo Paralello proporciona há 15 anos.  Banhado pelo mar quente e tranquilo da Bahia, o UP, como é chamado pelos frequentadores, ocorre em uma deslumbrante fazenda de coqueiros na praia de Pratigi, em Ituberá, 290km de Salvador – BA.

A produção do festival recentemente liberou a venda de ingressos pela internet, já no segundo lote e ao custo de R$520. Embora ainda não possua line up público completo – e não adianta aguardar para decidir, a lista final de DJs é conhecida apenas ao chegar no festival e retirar o programa com a pulseira de acesso, que nessa edição ocorrerá entre 27/12 e 03/01, e por ser bienal, a próxima só em dezembro de 2017.

Up7
UP6

Depois que o festival começa com um ritual realizado por índios Pataxós – os donos da terra (e sim, eles tem livre trânsito no festival), mais de 600 djs e produtores de dezenas nacionalidades – em 2013/14 foram 42; se revezam em cinco palcos simultâneos que funcionam por 7 dias, 24 horas, sem intervalos. Conheça os primeiros e principais nomes já divulgados e outras informações do evento.

Uma verdadeira cidade de bambu e palha para 20 mil interessados em conhecer toda a diversidade que a música eletrônica abraça é construída. Divididos por vertentes, os cinco palcos abrigam do minimal ao psy-dark-trance, além de shows e perfomances, todas com o pé na areia da praia; atividades culturais, galeria de arte, diversos workshops, cinema e um intercâmbio cultural que perpetua o festival como uma experiência única.

UP-2
UP5

UP-3

Não há cobertura de celular, energia elétrica ou chuveiro aquecido nos banheiros improvisados. Para viver o UP a regra é praticar o desapego dos confortos da vida moderna e de querer ver dois DJs que vão se apresentar ao mesmo tempo em pistas que ficam a meia hora de distância numa caminhada sob o verão nordestino.

Se você quiser conhecer o Universo Paralello, aceite meu conselho e comece a se programar. Além dos ingressos limitados, você também precisará reservar transporte até o festival e uma estrutura de camping que não é tão simples e contarei numa próxima oportunidade.  Se você for retornar, imagino que já tem passagens e ingressos garantidos, além da ansiedade, como eu que voltarei pela quinta vez.

* Luiz Guimarães acredita que tudo pode ser, só basta acreditar.