22 de novembro de 2018/POR Guga Rahner

Completar uma década de estrada é sempre um marco para qualquer marca. O festival Hell & Heaven (H&H), que é um weekend focado no público gay, completou 10 anos de jornada em uma edição especial no Enotel Spa & Resort em Porto de Galinhas, entre os dias 14 e 18 de novembro.

É sempre importante olhar para trás para entender o caminho traçado e também olhar para fora para buscar novos conhecimentos e referências. A equipe H&H participou da edição paulista do OCLB e acabou reformulando sua proposta de festival trazendo ideias e experiências diferenciadas para o público.

Duas grandes novidades marcaram esta edição: a criação de um tema macro e, consequentemente, assumindo metade das festas com produções próprias (antigamente, havia somente uma produção 100% H&H, sendo o restante assinado por parceiros nacionais e internacionais) e, somado a isso, a elaboração de cinco lineups.

O resultado foi 2.800 hóspedes em três hotéis diferentes (além do completo do Enotel havia o Porto de Galinhas Praia Hotel e o Marupiara by JPG), além de mais de 3 mil pessoas na festa principal (aberta para não hóspedes).

Planeta Secreto H&H – um tour pelo inesquecível

Este foi o tema escolhido pela produção. Como o festival tem uma proposta de imersão (são 5 dias sem sair do evento), logo a criação de um tema que refere-se a um planeta faz todo sentido. A viagem a esse planeta secreto fez descobertas de continentes secretos, sendo que esses continentes representam pilares da experiências dos clientes. Foram eles: Sentirium (amizade), Surrealis (diversão), Mascarade (prazer) e Symphonia (música). Cada continente foi uma festa noturna do festival.

A identidade dos continentes foi desenhada à mão pelo ilustrador Nicolas Viotto levando em consideração o briefing conceitual de cada continente, e também o espaço físico onde ,a festa aconteceria. A partir das ilustrações foram adaptadas cenografia, vídeo promo, figurinos, conteúdo visual (led) e instalações.

Sentirium

O continente que representa o sentimento de amizade do festival foi representado por um ambiente indoor aromatizado com luz avermelhada e com vegetação e corações cenográficos.

O lineup foi constituído por Jeferson Guntzel (POA), Jack Chang (UK) e Diogo Goyaz (GO).

Surrealis

Surrealis era o continente da diversão com uma pegada surreal. Cenografia e performers representando seres surreais como cavalos alados, gnomos e fadas, além de cogumelos gigantes, flores e nuvens. Uma grande moldura servia para dar impressão que uma grande obra de arte tornava-se viva.

No lineup estavam Guga Rahner (SP), Thomas Solvert (ESP) e André Queiroz (residente H&H – DF).

Mascarade

À beira da praia, Mascarade era o continente do prazer. Gaiolas e máscaras davam o ar fetichista do continente, que dançou com um nascer do sol inesquecível.

Comandaram as picapes Allison Nunes (SP), GSP (Grécia) e Rick Braile (residente H&H – SP)

Symphonia

De todos os pilares da experiência dos clientes o único que se for retirado acaba-se o evento, que é a música. Tudo foi elaborado caracterizando a música através de notas musicais, instrumentos e as mãos do maestro.

Com mais de 3 mil pessoas na pista, os DJs residentes do festival Erik Vilar (SP), Rodolfo Bravat (SP) e Rafha Madrid (ESP) receberam o francês Sebtatien Triumph e a cantora Nalaya (ESP), que é a voz da música tema feita especificamente para o show desta festa, que contou com show de fogos de artifício sincronizados com a música.

Além das festas do continentes do Planeta Secreto, o festival recebeu as festas Jungle Party (SP), Toy Factory by Masterbeat (LA), R:evolution (RJ) vs Matrix (ESP), Pinocchio by Muccassassina (ITA) e Together (POR).

Lineups experiências

Uma grande novidade do festival foi somar às festas ações experiências traduzidas em lineups, além do lineup sonoro que era a programação de DJs e festas.

Lineup Etílico

Além do bar normal do festival havia também bares de vinho especiais, cervejas artesanais e drinks, cujas cartas foram elaboradas por especialistas com Lolô Riccobene (vinhos), Rafael Vasconcelos (cerveja) e Bruno Amsterdam e Luciano Melo, do Pina Bar (drinks).

A cada dia aconteceu uma degustação com os próprios especialistas explicando um pouco sobre os produtos. Além disso, os especialistas fizeram harmonização com os pratos do Lineup Gastronômico.

Lineup Gastronômico

A cada noite houve um chef convidado que fez um prato autoral e exclusivo para o festival com os temas Português, Regional e Asiático.

Uma coisa muito bacana foi que a noite regional deu toda visibilidade para talentos locais, pois tanto o chef quanto o beer sommelier eram do Recife e também a cerveja escolhida é de uma produtora local. Os chefs convidados foram Lucio Figueiredo (Fortaleza), Elsinho Simões (Recife) e Leo Conral (SP).

Lineups Artístico

Composto pelos artistas da Posers Hottets Talent (empresa que comanda os shows do H&H) que abrilhantaram toda a proposta dos continentes. Além disso o grafiteiro Kronus, do Recife, pintou dois murais: um Hell com apoio da Halls e outro Heaven com apoio da Trident.

Lineup Bem-Estar

Cada ano que passa, o festival faz mais e mais campanhas de bem estar e prevenção. Com apoio da UNAIDS (braço de combate ao HIV da ONU) e a Prudence, mais de 10 mil camisinhas foram distribuídas para os clientes, além de espalhadas por todo o festival nos pontos H&H LIFE (plataforma de bem estar do festival) onde preservativos estavam à disposição dos clientes.

Além disso, sms eram disparados para os passageiros após o término das festas alertando para o uso de camisinha que estas estavam à disposição nos pontos H&H LIFE. Foram distribuídos mais de 10 mil preservativos.

Várias outras coisas rolaram no festival, como o lançamento da H&H TV com o apresentador Luan Poffo que entrevistou desde staff e artistas como o próprio público. Houve até um quiz com influencers com apoio da Chilli Beans que foi super divertido.

No Lounge Etílico, onde estavam os bares especiais, havia também um corner da Blitz do Açaí que fez o maior sucesso e a H&H Store, loja de merchandise do festival.

Dois momentos especiais aconteceram durante o festival. Um deles foi a cerimônia de casamento de dois antigos clientes do festival, sendo que um deles – Tadeu Takey – foi em todas as edições nos 10 anos e se tornou embaixador da marca no Rio de Janeiro.

A equipe H&H não somente deu permissão como contratou até uma cerimonialista para a ocasião. O segundo momento foi um pedido em casamento, de um casal hétero (maravilhosos eles), feito durante um dos jantares especiais. Viva o amor!

O H&H chega aos seus 10 anos com ar de renovação. É um dos poucos festivais do Brasil, quiçá do mundo, que nunca teve queda em suas vendas e a cada ano cresce mais. Além disso o festival esgota-se com em média 9 meses de antecedência sem nem mesmo divulgar lineup, ou seja, os clientes são fãs mesmo e acreditam de olhos fechados na experiência do festival.

Se quiser saber mais ou até mesmo já fazer a sua reserva o ano que vem entre no site  e fique por dentro.