25 de janeiro de 2019/POR Soraia Alves

 

Pulso Entrevista é uma série de bate-papos com produtores, criadores, curadores e todo mundo que faz os nossos queridos festivais acontecerem. Aqui você confere como surgiram esses festivais, o que está envolvido na realização de cada edição, curiosidades e muito mais!

 

O Festival Planeta Brasil comemora 10 anos em 2019, e o feito não é para qualquer um. O evento, que acontece anualmente em Belo Horizonte, já nasceu com a promessa de ser o maior festival de música de Minas Gerais., e tem cumprido a promessa.

De 2009 pra cá, o Planeta Brasil vem colecionando momentos únicos e edições memoráveis, sempre proporcionando ao público a possibilidade de conferir grandes artistas e encontros, além do combo que faz qualquer festival interessante: música, arte e gastronomia.

Para saber um pouco mais sobre a história e os bastidores do Planeta Brasil, o Pulso conversou com Henrique Chaves, organizador do festival. Confira o papo!

Henrique Chaves – Foto: Barbara Dutra

10 anos de experiências compartilhadas

Como grande parte dos festivais, o Planeta Brasil surgiu da vontade de fazer algo diferente na cena local de Belo Horizonte e inspirado em eventos de prestígio mundial, como o Coachella: “Queríamos conscientizar a nossa geração através de experiências compartilhadas, usando a música como frente para iniciar alguma mudança na comunidade”, conta Henrique.

O festival também veio para atender uma demanda que os próprios organizadores tinham, de conferir em BH as bandas e artistas que gostavam, mas nem sempre passavam pela cidade. É claro que os desafios para isso sempre existiram, principalmente para um festival independente: “Mas, hoje conseguimos nos estabelecer como festival que abre a temporada de verão e ponto de referência para muitos artistas montarem sua agenda do ano. Buscamos a superação a cada edição e isso só é possível com a união de todos que passaram até aqui”, ressalta o organizador.

Desde o começo, o Planeta Brasil também apostou em outros pilares além da música, como sustentabilidade, responsabilidade social e gastronomia. “Quando idealizamos o festival, Belo Horizonte não tinha nenhum outro evento ativo nesses moldes, mas sabíamos do potencial que existia aqui, já que Minas sempre teve uma cena musical forte e percussora. Resolvemos apostar e deu muito certo!”.

Hoje, o festival recebe um público de mais de 80 cidades do Brasil:

“Estamos tirando as pessoas da zona de conforto e conquistando um reconhecimento que vem do público, bandas e do mercado como um todo, inclusive a nível internacional”.

Foto: Divulgação

Música e conexões

Apesar dos desafios de montar um lineup interessante, diverso e com nomes de peso, como neste ano, o Planeta Brasil consegue sempre entregar o que o público quer: “O ponto mais importante que levamos em conta é que o headliner principal do festival são os fãs, o que eles gostam, o que estão ouvindo, o que querem ouvir de novo. A partir daí construímos a história do evento e o processo para criar um mix completo para o Planeta”.

E atender o público é das principais regras para um evento de sucesso. A curadoria cuidadosa e estudo de mercado, que começam um ano antes da edição, garantem um lineup mesclado, desde bandas que estão surgindo, passando por veteranos e encontros únicos.

“Hoje projetamos artistas, promovemos intercambio entre culturas e tudo isso “junto e misturado” com o público”.

Além das experiência musicais, o Planeta Brasil aposta em experimentações reais e que podem tocar as pessoas. Isso é pensando desde a compra do ingresso até os shows: “Queremos ampliar a vivência, permitir o compartilhamento com os amigos, deixar uma marca. Buscamos sempre proporcionar memórias inesquecíveis ao público, seja através dos shows e conexão com os artistas, seja pelas experiências que eles podem viver durante o dia nos outros espaços”.

Neste ano, uma das atrações mais legais do festival é o “Planeta Brasil Talks by Una 2019″, projeto fruto da parceria do festival com o Centro Universitário Una e que traz conversas com personalidades de peso como Djamila Ribeiro, Bela Gil, Mariana Ferrão, entre outros para trocar experiências, conhecimentos e promover debates sobre temas atuais que vão além das fronteiras das artes e da sala de aula. “Muitos desses debates vão se transformar em speeches nos palcos do Planeta apresentados por diversos nomes de peso”, explica Henrique.

A iniciativa coloca o festival na onda de eventos que já entenderam que a troca de experiências e conversas é essencial para abrir os horizontes, e que lugares de eferverscência cultural, como são os festivais, são perfeitos para incentivar a transformação e evolução.

Foto: Divugação

Edição 2019

Com o público sempre em primeiro lugar, o Planeta Brasil traz ainda em sua edição especial de 10 anos outras iniciativas especiais para o entretenimento, como um truck de tatuagem, mini-rampa de skate, quadra de basquete, uma tirolesa gigante, parede de escalada, espaços de descanso, câmeras analógicas e muito mais.

“Outra experiência diferenciada que queremos proporcionar ao público esse ano é na área gastronômica. Teremos um Foodpark exclusivo, estações de sucos naturais, água de coco, opções veganas em todos os setores, e grandes chefs de BH levando sua gastronomia ao camarote.”

O conceito para essa edição é realmente é entregar 10 vezes mais de tudo ao público!

Mas comemorar 10 anos de Planeta Brasil, na verdade é só o começo. “Nossa expectativa é que o festival siga crescendo e possamos alcançar novos voos. Pensamos em ampliar os dias do festival, por exemplo, levar para novas cidades, e é isso que nos move acima de tudo”.

E nós já aguardamos ansiosos pelas novidades e desejando comemorações de muitas outras décadas do Planeta Brasil!

 

:: O Festival Planeta Brasil 2019 acontece no próximo sábado, 26/01, com artistas como Whiz Khalifa, Kaskade, Seu Jorge, Vini Vici, Natiruts, Milton Nascimento & Criolo, Jorge Ben Jor & Céu, e mais!

Os ingressos podem ser adquiridos pela Sympla.