25 de setembro de 2018/POR Soraia Alves

Pulso Entrevista é uma série de bate-papos com produtores, criadores, curadores e todo mundo que faz os nossos queridos festivais acontecerem. Aqui você confere como surgiram esses festivais, o que está envolvido na realização de cada edição, curiosidades e muito mais!

A edição 2018 do Festival MADA será mais que especial, afinal, serão comemorados 20 anos do evento queridinho do Rio Grande do Norte, que além de ser um exemplo de difusão e fomento para músicos e bandas, também equilibra shows de grande porte e artistas em ascensão, elegendo atrações inéditas e de trabalho inovador.

Para saber mais da história do MADA e de sua edição especial, conversamos com Jomardo Jomas, diretor do festival. Confira:

Foto: Gustavo Dant

A cena musical de Natal

O Festival MADA nasceu com a intenção de mostrar ao Brasil todo a rica cena musical do Rio Grande do Norte. Nas viagens que fazia como produtor de uma banda durante os anos 90, Jomardo era sempre perguntado sobre a cena local de Natal, e foi daí que surgiu a ideia de criar um festival que valorizasse esses artistas locais.

“No início de 1998, conseguimos viabilizar a vinda do Programa Palco MTV para Natal, que fez um especial com as bandas da cidade. Como muitos grupos ficaram de fora do programa, surgiu a ideia e possibilidade de fazermos um festival com o máximo possível de bandas do Rio Grande do Norte e algumas bandas da Paraíba e Pernambuco”, conta o diretor.

Como acontece em quase toda primeira edição de um evento, o MADA enfrentou alguns obstáculos, mas realizou o festival com apoio de amigos e alguns órgãos públicos:

“Fizemos uma edição fantástica no bairro histórico da Ribeira, que na época passava por um processo de revitalização. Foi super bacana ver como bandas e o público se sentiram ao participarem de um momento novo e com cobertura para a imprensa de todo o Brasil. Foi sensacional! Hoje, 20 anos depois, percebemos como foi importante criarmos o festival e incentivar toda uma cena ainda incipiente, mas que atualmente já tem nomes circulando por todo o mundo.”

O lineup sempre teve muita diversidade sonora, característica que não se perdeu com o tempo. Por isso, o MADA funciona como um recorte atualizado das novidades que estão rolando na cena musical brasileira. “Ao mesmo tempo também buscamos sons e artistas que carreguem em seus sons e atitudes mensagens que possam contribuir para a conscientização do público. Entretenimento aliando com informação”, ressalta Jomardo.

Foto: Gustavo Dant

20 anos de experiências

Ao longo de seus 20 anos, o MADA viu como a nem sempre é fácil conseguir a captação de patrocínios para viabilizar um evento desse porte, assim como os entraves burocráticos podem ser numerosos e, muitas vezes, determinantes para o sucesso ou fracasso de um evento. “O MADA completa 20 anos, mas nunca é fácil colocar uma nova edição na rua. No entanto, acreditamos no que fazemos e essa é nossa mola propulsora”, ressalta o diretor.

A vontade de sempre entregar um evento que estimule o entretenimento, mas que também faça mais pelo público e para o seu entorno faz com que o MADA venha, desde 2002, oferecendo cada vez mais experiências diversas:

“Começamos com a programação paralela de cinema de curta metragem, o Curta Natal. Hoje, temos também uma ação chamada MADA Faz Escola, na qual alunos e músicos trocam experiências e conhecimento, fazendo com que a música chegue às crianças e aos adolescentes que ainda estão em formação. Afinal, temos uma preocupação constante em fazer com que nosso público tenha acesso às possibilidades que possam contribuir para serem seres humanos melhores”.

Entre essas iniciativas estão as parcerias com as startups Ribon e Gooders, que estimulam a doação do público para ONGS brasileiras e mundiais, sem precisar que o doador tire recursos do próprio bolso. “Acreditamos ser importante que as pessoas aprendam como é necessário o ato de ajudar ao próximo”.

Foto: Gustavo Dant

Edição 2018

“São 20 anos e queremos entregar ao público uma edição histórica!”. Só por essa definição do diretor já ficamos ansiosos com o que o MADA apresentará neste ano. Na programação artistas como Franz Ferdinand (em sua única apresentação no Nordeste), Pitty, Cordel do Fogo Encantado, Nação Zumbi, Baiana System, Rincon Sapiência, Francisco El Hombre, Far From Alaska, Jade Baraldo, Larissa Luz, ÀTTØØXXÁ e muitos outros nomes que são a síntese do que o festival vem fazendo ao longo desses anos.

Para o futuro, o MADA só deseja continuar crescendo a cada edição, “podendo oferecer uma programação com uma grande diversidade, e ações que possam sempre ajudar a mudar alguma coisa no mundo”.

O Festival MADA – 20 anos acontece nos dias 12 e 13 de outubro, no Estádio Arena das Dunas – Lagoa Nova, Natal. Para conferir as informações sobre ingressos, acesse aqui.