23 de agosto de 2018/POR Soraia Alves

No próximo domingo, 26/08, começa o Burning Man 2018. O festival (que não se classifica como tal) acontece na tradicional Black Rock City, cidade montada no Deserto de Nevada, e traz consigo a ideia de desconstrução social, cultural e financeira, propondo um pensamento comunitário aos seus participantes.

Ao longo de uma semana, até o dia 03/09, os Burners (público) são convidados explorarem de forma radical os mais variados pontos, da expressão artística à autoconfiança radical. A comunidade opera com um sistema de barganha e troca de alimentos e mercadorias o tempo todo, confiando na generosidade e cooperação uns dos outros.

Mas será que tudo funciona exatamente assim? Quais as instalações de arte e novidades do festival nesta edição? O Pulso separou os detalhes mais interessantes do Burning Man 2018, confira!

Foto: Divulgação

Instalações

Com o tema “I, Robot”, naturalmente esperamos muita criatividade entre as instalações do Burning Man, que sempre chamam a atenção por seus tamanhos gigantes e visuais inovadores.

Entre os projetos que mais chamam a atenção na Black Rock City, temos a The Orb, uma bola espelhada inflável criada pelo arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels, em parceria com o Bjarke Ingels Group.

A esfera, que tem mais de 25 metros de diâmetro, representa a Terra e custou US$ 50 mil. O dinheiro foi viabilizado através de um crowdfunding, e quem ajudou no projeto receberá cartões postais, pequenas esculturas e o direito a uma visita na parte interna da bola, dependendo do quanto colaborou.

Foto: Divulgação

Cobertores da NASA

Outra instalação que promete chamar atenção no Burning Man 2018 é a do designer russo Alex Shtanuk. Com 10 mil metros quadrados, o projeto é feito com mais de 3 mil cobertores da NASA.

Com um revestimento metálico exterior, a instalação chamada “The Blanket” quer criar diferentes ondas surreais durante o BM, e que podem parecer montanhas, esculturas e tudo aqui que a imaginação dos Burners permitir. Além disso, o cobertor refletirá 97% do calor irradiado, criando um ambiente refrescante para aqueles que procuram abrigo do sol quente do deserto.

Foto: Divulgação

Burners de elite

Embora o Burning Man tenha uma cultura comunitária, e proíba marketing e vendas no local, novos estilos de Burners têm marcado as últimas edições do evento. Chamados informalmente de “Burners de elite”, eles são empresários de Wall Street, do Vale do Silício, entre outros milionários que pagam atém US$ 50 mil para acampar em grande estilo no Burning Man.

Enquanto o público comum compartilha uma alimentação mais comum, como sopas enlatas e barras de proteínas, os Burners de elite têm jantares exclusivos e menus de degustação com chefs famosos.

É claro que muitos Burners que frequentam o festival há anos vêem com desconfiança esse novo nicho dentro do festival. Mas, enquanto os ideais do Burning Man continuarem os mesmos, está tudo bem!