10 lives de música eletrônica para matar saudades da pista


Assine a Cápsula, nossa newsletter para mentes inquietas em busca de inspiração

Compartilhe esse artigo

Não sei quanto a vocês, mas meu consumo por lives de música eletrônica explodiu nos últimos meses.

Em meio à quarentena, durante a faxina no sábado, trilhas de exercício ou simplesmente para matar saudades da pista, recorro às lives como uma medicina pra alma.

Abaixo, listo as lives dos DJ que “last days saved my life”. Quando você estiver se sentindo pra baixo, pode recorrer a qualquer uma delas. São todas testadas e aprovadas!

Ps: agradeço as dicas da Ana Luiza, Diego Moretto, Julia Gouveia, Eduardo Nadais, Pedro Rizzo, Daniel Santanna, Marina Britto e Henrique Torelli.

10 lives de musica eletrônica que valem o seu play

10. Joey Kay: bailão soulful de 4 horas 

Um dos DJs do coletivo soulection, dono de uma técnica de viradas absurda, faz um bailão soulful de R&B e hip-house de 4 horas.

Indicado para: manhãs preguiçosas de sábado ou domingo.

9. Rodriguez Jr. mostra o verdadeiro french touch

Rodriguez Jr. aka Youngsters é um daqueles nomes do techno francês underground que merece todo o nosso respeito. Isso, sim, é uma live de verdade.

Indicado para: quem admira beleza, hardwares e um bom storytelling de pista.

8. Ellen Allien: back to rave

Com múltiplas câmeras e um techno reto no melhor estilo caverna, a DJ alemã mostra que em tempos de pandemia ainda há energia pra rave em casa.

Indicado para: fãs de uma boa lenha

7. Disclosure: não livre, mas leve e solto

Um dos irmão Disclosure em um set despretencioso, feliz, de house-house, sem conta-indicações.

Indicado para: deixar tocando enquanto você prepara o café da manhã e toma coragem pra fazer aquela faxina.

6. Dax J: senta que lá vem lenha…

Techno, techno e techno. Sem mimimi. Sem gracinha. Pra soltar os diabos. Can you feel it???!!!

Indicado para: dias de fúria. Cuidado com os vizinhos…

5. Giorgia Angiuli: mina prodígio em Ibiza

Mais uma live (de verdade) de respeito. Quando vejo essa mina tocar, usando tudo que é ferramenta em cima da mesa, penso: “como essa geração é talentosa!”

Indicado para: quem anda com saudades da praia e quem quer viajar num por de sol em Ibiza.

4. Peggy Gou: pro dia nascer feliz

Esse set mostra porque essa é uma das mais talentosas DJs da atualidade. É uma alegria poder acordar com um set desses. Que estrela você tem, Peggy!

Indicado para: anda pra baixo e precisa de uma dose de seratonina.

3. Black Madonna: a cozinha é o melhor lugar da festa

Se tem um set que resume todo o espírito do tempo da quarentena, é esse. E se tem uma cozinha que eu queria estar, era essa. Adoro quando o companheiro dela começa a descascar legumes no fundo.

Indicado para: uma animadíssima festa em casa com os amigos, set peak level.

2. Dixon: tecnicamente impecável

Eleito o melhor DJ do mundo quando a Resident Advisor ainda tava nessa, o alemão cool-vampiresco mostra que quem é rei, não perde a majestade. É um set que tem os grafismos assinados pelo nosso Sala 28, que por si só já vale a viagem. Mas entra aqui na lista em 2º lugar mesmo porque o Dixon conta uma bela história nesse set.

Indicado para: quem anda com saudade de um bom clubinho underground.

1. Mark Ronson: toque de Midas em uma das melhores coisas dessa quarentena

Love Lockdown é o nome da video mixtape que o top produtor Mark Ronson gravou em colaboração com alguns dos seus artistas favoritos (e parceiros de trabalho). Estão lá o A-Trax, Robyn, Miley Cyrus, Tame Impala, Dua Lipa entre outros. Mais que um DJ set, essa “live” encabeça a lista como um bom exemplo de como ser criativo e criar uma obra prima estética em tempos de distanciamento social. É tudo que a live Global Citzen deveria ser… só que não.

Indicado para: fãs de música pop, saudosos de festivais e quem admira um bom trabalho criativo e estético.

Assine a Cápsula, nossa newsletter para mentes inquietas em busca de inspiração

Cinco anos de pesquisa e conteúdo sobre a cultura dos festivais.

@ØCLB / Pulso 2020. Todos os direitos reservados