Entrevista: The Festival Guy (ou Como Aprender a Viver De Festivais) - Pulso

Entrevista: The Festival Guy (ou Como Aprender a Viver De Festivais)

Você pensa que é apaixonado por festivais? Espere até conhecer esse cara: Tucker Gumber é o nome por trás do ‘Festival Guy’, um expert que passou 65 dias deste ano em festivais de música nos Estados Unidos.

Quer saber como eles vem transformando sua paixão em uma profissão nos últimos quatro anos ? Vem com a gente!

(Pulso) Você tem publicado reviews de festivais que acontecem nos Estados Unidos desde 2012 e você acabou até mesmo criando um verbo, o ‘festivaling‘ (algo como “festivalar”). Você poderia nos contar um pouco mais sobre você e como começou a ‘festivalar’?

Festival Guy: Quando fui no meu primeiro festival em 2011 eu não tinha a menor ideia do que estava fazendo. Era início de março, estávamos no meio do inverno e eu estava usando meu SpiritHood enquanto corria em torno dos palcos mais épicos que eu já havia visto. Meu amigo que me levou para o SnowBall Festival me apresentou muita coisa, mas eu ainda era um novato correndo entre luzes de LED…

Um mês depois eu fui convidado para participar do meu primeiro Coachella, que foi completamente diferente: dez vezes maior, instalações de arte gigantescas, palcos e público esmagadores, aquele calor… foi avassalador. Mas, ao longo dos dias, comecei a entrar no clima e tive um dos melhores finais de semana que eu já havia vivido até aquele momento. 

Dizer que eu me apaixonei pela experiência seria um grande eufemismo. EU FIQUEI OBCECADO. Ver todos os meus artistas favoritos combinado com a oportunidade de fazer novos amigos e dividir a aventura com eles, era tudo que estava faltando na minha vida. Eu não acreditava que seria possível ter tanta diversão em um único final de semana. 

Foi então que eu comecei a ver festivais de um ponto de vista macro e tive a epifania de me comprometer a participar de mais festivais. Dez festivais depois, aprendi como ser mais eficiente e engenhoso quando estava ‘festivalando’… Logo me dei conta de que não havia nenhuma iniciativa para informar novatos como eu, acabei criando meu próprio website (www.thefestivalguy.com) para ajudar os outros a aprender os macetes e divulgar para os amigos quais festivais valiam a pena ir.

(Pulso) Os reviews de festivais são tradicionalmente relacionados aos shows, como se os festivais fossem apenas um conjunto de performances musicais. Nos seus reviews, o que você avalia nos festivais? Quais aspectos são mais relevantes para você?

Festival Guy: Na verdade, a parte menos importante de um festival são os artistas que se apresentam. Mas, por outro lado, se você não gostar do lineup, definitivamente não deve ir.

De maneira geral, meus reviews dos festivais são sobre a organização do evento, a qualidade da música e as experiências, como arte, iluminação, comida e público. Se todos esses aspectos são acionados em você, é sinal de que você terá uma excelente experiência no festival.

imagem1

(Pulso) Você mencionou em uma entrevista que você esteve em vários festivais como voluntário. Esse é um assunto bem interessante para nós no Brasil, já que além das despesas dos festivais, precisamos também comprar passagens aéreas para poder curtir alguns festivais no exterior. O que você recomenda para quem gostaria de se voluntariar nos festivais dos Estados Unidos?

Festival Guy: Ser voluntário nos festivais é uma ótima forma de economizar dinheiro e fazer novos amigos em lugares incríveis. Se você está considerando fazer uma viagem do Brasil para os Estados Unidos e gostaria de ser voluntário, sugiro chegar aqui alguns dias antes para que você possa ajudar na montagem do festival. É uma oportunidade perfeita para se conectar com outros voluntários que se tornarão seus amigos durante o festival. Também é muito divertido ver todos os palcos sendo montados. Tendo participado de várias montagens de festivais, falo por experiência o quanto prazeroso é participar de um festival o qual você ajudou a fazer. (Leia mais aqui no Pulso sobre como ser voluntário em festivais)

(Pulso) Você se tornou um profissional, agora sendo convidado para vários festivais, recebendo acessos VIP… Como você transformou essa paixão em uma carreira?

Festival Guy: Comecei meu website com o propósito de ir a mais festivais. Após um ano no ar, o site começou a receber muitos acessos, o que me possibilitou a me credenciar como imprensa para cobrir os festivais.  Quanto mais festivais e quanto mais conferências sobre o mercado de festivais eu vou (IMFCON, EDMbiz, SXSW, Fest Forward), mais pessoas eu conheço e mais conectado à indústria eu me torno.

Então criei uma empresa chamada FestEvo com o propósito de encontrar soluções para os problemas dos festivais. O primeiro problema específico que nós gostaríamos de resolver é que não havia uma maneira de ouvir os artistas dos lineups dos festivais sem ter que procurar por cada artista individualmente. Então, nós criamos o FestEvo App que traz mais de 800 festivais ao redor do mundo em um aplicativo com todos os lineups do ano. Os usuários podem ouvir e ver cada artista via SoundCloud/Spotify ou YouTube e dar notas em uma escala de 1-5.

Após classificar os artistas, FestEvo cria uma agenda para você baseada no seu ranking. É importante ouvir todos os artistas antes de um festival pois só assim você pode passar o dia todo ouvindo as músicas que você ama. Estamos tendo muito trabalho, mas estou realmente orgulhoso do que o nosso time está fazendo acontecer.

O aplicativo FestEvo
O aplicativo FestEvo

(Pulso) Nós sabemos que a multidão em um festival podem produzir muito lixo, além de produzir outros problemas ambientais como grande volume de emissão de gases e poluentes devido ao transporte e elevado consumo de água. Você tem alguma preocupação especial sobre esse assunto? Como você vê aspectos relacionados à sustentabilidade nos festivais que você esteve?

Festival Guy: Sustentabilidade é a área que mais precisa ser melhorada nos festivais. Sustentabilidade nesse contexto significa o impacto do lixo e destruição do ambiente, combustíveis e recursos que são utilizados durante e depois do festival, além dos materiais que são usados na montagem e desmontagem da estrutura.

Considerando o impacto do lixo, uso o lema da comunidade do Burning Man (que todo apaixonado por festivais ao redor do mundo deveria saber) que é  ‘não deixar nenhum rastro’. A ideia é que cada um recolha seu lixo e literalmente não deixe nenhum rastro após viver no deserto por uma semana durante o Burning Man.

Enquanto isso funciona para essa comunidade em particular, é muito difícil aplicar para outros festivais e públicos porque esse mantra não faz parte das diretrizes dos festivais. O lema que estou atualmente espalhando é: ‘Não deixar nenhum rastro +1’. A ideia é que você recolha seu lixo (como você sempre faz, certo?) e de alguma outra pessoa ao longo do dia. O seu lixo mais o lixo que você vê na sua vizinhança. Se conseguimos que 50% do público do festival faça isso, não haverá a preocupação com o que os outros 50% fazem com seu lixo.

Sasquatch Signs pic
Tucker disseminando seu lema ‘Não deixe traço +1’ durante o festival Sasquatch!

(Pulso) Eu li que você esteve apenas este ano em 14 festivais (esse número está atualizado?). Quais conselhos e festivais você recomenda para um amigo brasileiro que está planejando se divertir nos Estados Unidos?

Festival GuyEu participei de 21 festivais esse ano, totalizando 65 dias em festivais. O conselho que eu daria pode parecer um pouco auto serviço mas é realmente o que um frequentador de festival precisa saber. Faça sua pesquisa, esteja preparado com o equipamento e material que você precisa e estude o lineup através do aplicativo FestEvo (gratuito no IOS ou Android). E, por último, mas não menos importante, uma vez no festival, converse com estranhos! O que eu mais gosto sobre a comunidade que frequenta festivais é que há tantas pessoas positivas, de cabeça aberta e convidativas que estão disponíveis para ajudar – e sem esperar um favor em troca. Depois de apenas um festival, você terá um grande grupo de novos amigos que você vai querer ir para outros festivais com eles novamente.

Para fechar, gostaria de incluir uma lista dos festivais da América do Norte que eu recomendaria: 

Shambhala, Lighting In A Bottle, Coachella, Electric Forest, Northern Nights, What The Festival, Hangout, Wakarusa, EDC Las Vegas, Life Is Beautiful, Hulaween, Firefly, Bonnaroo, Lollapalooza, and Austin City Limits. 

Você terá uma experiência incrível em cada um deles! 

Leia mais aqui no Pulso sobre os festivais que bombam nos Estados Unidos.

* Imagens: The Festival Guy

Carol Soares Por Carol Soares

Don't ask about my job. Don't ask what I do. Judge the way I dance.

Posts Relacionados