Diversidade e representatividade: festivais que abraçam a causa LGBT+

Diversidade e representatividade: festivais que abraçam a causa LGBT+

Como fragmentos que mostram muito da sociedade em cada geração, os festivais são espaços que abrigam temas diversificados, mesmo quem quase sempre embalados pela máxima da diversão. Um exemplo disso é como a pauta da sustentabilidade se tornou, nos últimos anos, tanto o tema central de alguns festivais quanto uma preocupação geral da maioria dos eventos, que buscam causar o mínimo de impacto ambiental possível em duas edições.

Com a causa LGBT+ não é diferente. Muitos festivais fazem questão de exaltar o respeito ao próximo em suas políticas, assim como em lineups diversificados que procuram tanto agradar aos gostos mais variados, quanto dar voz e representatividade através de muitos artistas.

Há ainda festivais completamente voltados para o calendário LGBT+, que além de terem sua importância junto ao debate sobre igualdade, ajudam a movimentar outros eventos também da comunidade LGBT+, já que muitos festivais acontecem em datas próximas a outras festividades, como a Parada do Orgulho LGBT+.

Parada do Orgulho LGBT+ em São Paulo. Foto: Divulgação

5 festivais que abraçam a causa LGBT+

Separamos 5 festivais que abraçam a causa LGBT+ e abrem espaço para o debate, a luta pelo fim da homofobia e por mais igualdade, pontos tão importantes que deveriam originar muito mais eventos com a mesma pegada.

Foto: Divulgação

Milkshake Festival, São Paulo (Brasil)

O Milkshake Festival chegou ao Brasil em 2017 e já garantiu a segunda edição em 2018. Criado na Holanda, o Milkshake celebra a diversidade em todos os âmbitos, orientações e estilos trazendo diversos artistas em palcos variados, além de personalidades que representam e/ou defendem o movimento LGBT+ e tornam a voz da diversidade ainda mais forte e mais ouvida.

Para 2018, a novidade é a 1ª edição da DragCon. Um grande espaço no coração do festival celebrando o movimento que dá ainda mais força para a alegria e colorido das Drag Queens!

Para mais informações do festival e ingressos, acesse aqui.

Foto: Divulgação

Lou Queernaval, Nice (França)

Um Carnaval na França que celebra o amor em todas as suas formas. Assim é o Lou Queernaval!

A cidade de Nice comemora o Carnaval durante todo o mês de fevereiro, e o Lou Queernaval é a noite dedicada à causa LGBT+, com festas embaladas pela cultura Queer e muitos discursos sobre a igualdade!

Foto: Divulgação

Hell & Heaven, Bahia (Brasil)

O Hell & Heaven é um dos maiores festivais de música eletrônica do Brasil, além de bem conceituado internacionalmente.

O H&H Bahia recebe milhares de pessoas em um dos maiores resorts do Brasil, o Vila Galé Marés, que foi reestruturado especialmente para receber o evento. São 4 dias de festival, onde o público fica hospedado no resort e ainda curte as festas e shows com DJs.

Foto: Divulgação

Festival LGBT, Brighton (Inglaterra)

Conhecido como o maior festival do orgulho LGBT+ do Reino Unido, esse evento também acontece co data próxima à Parada do Orgulho LGBT+ do país. Um de seus grandes diferenciais é o Pride Diversity Games, que é uma espécie de competição que mescla diferentes esportes e jogos variados, sem discriminação.

O Festival LGBT tem uma grande visibilidade, atraindo pessoas do mundo todo, principalmente de vários países europeus. Por isso mesmo, as festas e eventos ligados ao festival têm sempre ingressos muito disputados.

Foto: Divulgação

Love Noronha, Fernando de Noronha (Brasil)

Com foco em música eletrônica, gastronomia e destacando as belezas naturais de Fernando de Noronha, o Festival Love Noronha já está em sua sétima edição. Além das festas e shows, há uma extensa programação na ilha que inclui desde a experimentação de pratos exóticos até passeios ecológicos.

O Love Noronha também é conhecido por levantar discussões e por mostrar o quanto Fernando de Noronha é um paraíso livre de preconceitos.

A edição 2018 do Love Noronha acontece entre 02 e 05 de agosto. Mais informações aqui.

Soraia Alves Por Soraia Alves

Jornalista formada pela UNESP-Bauru. Trabalha com web jornalismo e cultura pop.