Quem é Quem dos Artistas Nacionais do Dekmantel Festival São Paulo - Pulso

Quem é Quem dos Artistas Nacionais do Dekmantel Festival São Paulo

Com o evento já batendo na porta, é hora de fazer um quem é quem das atrações nacionais que estão no Dekmantel Festival São Paulo (semana passada escrevi sobre os gringos, dá uma olhada aqui).

O evento rola no Jóquei (parte dia) e na Fabriketa (noite de sábado). Não perde que tem cara de que vai ser o hit do verão.

Vem comigo! =D

Zopelar 

Crédito: Divulgação

Todo mundo deve se lembrar da missão ingrata que foi dada ao Zopelar na edição de 2015 no Sónar Brasil: tocar entre o Chemical Brothers e o Hot Chip. Pois bem, o produtor se saiu muito bem e acabou se destacando no meio daquela noite confusa. Seu live, marca registradas das festas ODD (que rolam no Rio e em SP), é definitivamente uma das atrações que você não deve perder na edição brasileira do Dekmantel Festival.

Cashu 

Crédito: Divulgação

Faz uns sets densos, cheios de clima e personalidade. Cria da galera da Voodoo Hop, criou a festa Mamba Negra com o intuito de ocupar espaços urbanos abandonados no centro de SP. Deu muito certo. Cai dentro do Soundcloud da moça para entrar no clima.

EXZ 

Crédito: Divulgação

Mais um live nacional no lineup, que beleza! Estou particularmente curioso para ver este: costuma ser cheio de texturas, cheio de nuances, groove com BPMs baixos e variedade grande de instrumentos. A conferir.

Tessuto

Crédito: Divulgação

Paulo Tessuto é o nome responsável pela libertária e bem-humorada festa Carlos Capslock. Ele já foi jogador de basquete, toca montadíssimo, faz releases engraçados… Mas o que importa mesmo é que os sets, circulando entre o techno e o house, são bons. Se liga nesse podcast que ele gravou para o festival.

Renato Cohen

Crédito: Divulgação

É provavelmente o mais veterano dos nomes nacionais. Eternamente lembrado por ‘Ponta pé’ e por sets memoráveis de techno.

Davis

Crédito: Divulgação

Cria da D-Edge, é um dos pilares da ODD e, mais recentemente, lançou um single pelo Innervisions, selo do Dixon. Chega cheio de moral para a edição brasileira do evento.

Marcio Vermelho 

Crédito: Divulgação

Também cria da D-Edge e também integrante da turma da ODD. Com muito tempo de estrada, tem seguidores fiéis em SP. Vai do techno à disco com facilidade.

Selvagem 

Crédito: Divulgação

Selvagem é o fruto da parceria entre os DJs Milos Kaiser e Augusto Olivani. Garimpeiros profissionais, tocam suas descobertas em sets, digamos, muito versáteis: tem house, tem disco, tem batuque, tem pra todo mundo.

L_cio

Crédito: Divulgação

Laércio é provavelmente o mais festejado produtor brasileiro, com prêmio no Rio Music Conference e um remix muito popular para ‘Construção’, de Chico Buarque. A Kompakt, que não é boba nem nada, lança o rapaz lá fora. Olho no live dele.

Carrot Green

Crédito: Divulgação

Cheio de referências à música brasileira, o produtor carioca traz sempre a possibilidade de um set só de surpresas.

Luisa Puterman

Crédito: Divulgação

Pianista e sound designer, Luisa vai fazer um live na porção noite do evento, que rola no Fabriketa.

Ney Faustini 

Crédito: Divulgação

Entre as produções de Ney estão remixes e edits de Tim Maia, Elis Regina, Talking Heads e Adele. Deu pra sentir o clima? Ouve esse podcast aqui.

Gop Tun

Crédito: Divulgação

É a festa que fez a ponte com a galera da Holanda e trouxe o festival para o Brasil. Eles tocam no sábado, na parte dia do evento.

40% Foda/Maneiríssimo 

Crédito: Fernando Schlaepfer / I Hate Flash

É um selo carioca comandado por Gabriel Guerra e Lucas de Paiva (que é envolvido com a banda Opala e já produziu a Mahmundi). Estão na praia techno e house e tocam no sábado, na porção dia do festival.

Azymuth

Crédito: Divulgação

Banda veterana brasileira que mistura funk, samba e jazz. Faz a alegria dos gringos desde 77, quando tocou pela primeira vez no festival de Montreaux. Ano passado fez um show bastante elogiado no dia da abertura do Dekmantel Amsterdam.

Hermeto Pascoal 

Crédito: Divulgação

É o mago dos instrumentos no Brasil. Morador do subúrbio do Rio de Janeiro, está com 80 anos e corre o risco de ser uma das atrações mais festejadas dessa edição. Toca no domingo, de dia.

Bixiga 70 

Crédito: Divulgação

Se a sua onda é o afrobeat de Tony Allen, o show do Bixiga 70 pode ser o seu pote de ouro. Joga um pouco de jazz e música latina na equação e temos um belo panorama do som do grupo.

Até semana que vem!

Posts Relacionados