Quando o streaming salva! - Pulso

Quando o streaming salva!

A poucos dias de acontecer a quinta edição do Lollapalooza Brasil, somos consumidos pela ansiedade em ver artistas favoritos vindos de fora performando em solo nacional – além dos nomes brasileiros, claro. A experiência de curtir um festival é muito mais ampla do que isso, sabemos, mas ao menos hoje, o desejo de estar presente na pista pode ser driblado pelo santo serviço que é o streaming.

Já inserido como parte sólida de grandes eventos (desde festivais de música até a Copa do Mundo), o stream gera buzz e audiência para o canal, responsável por oferecer o serviço e trazer engajamento maciço nas redes sociais.

Por aqui, o canal Multishow (muitas vezes em parceria com o canal BIS) é hoje o principal responsável por transmissões online. Por lá já assistimos Rock in Rio, Festival de Verão de SSA, Planeta Atlântida e o próprio Lollapalooza – entre outros. São transmissões na íntegra, com apresentadores do canal e com recursos que vão desde visita ao camarim até entrevistas com membros das bandas que acabaram de se apresentar. Sério!

A primeira transmissão via web feita pelo canal foi há mais de oito anos, porém, nos últimos cinco (anos), o serviço de streaming se intensificou com transmissões ao vivo pela web e pela TV. Para um canal que tem uma relação sólida com a música, realizar as transmissões de shows ao vivo acabou sendo o caminho certo para se seguir e gerar audiência tanto para a TV quanto para a web, além de conquistar novos espectadores.

Festivais, por exemplo, possibilitam uma repercussão maior e por mais tempo quando são transmitidos, e a tendência é sempre crescer o tempo de permanência e o número de pessoas online.

Mas qual seria o retorno que a adoção do serviço de streaming traria para um canal de televisão? Certamente audiência, engajamento e, por que não, prestígio? É o nome do canal transmitido para todo o país e o valor do investimento muitas vezes pode se justificar pela audiência atingida. Muitos novos-admiradores passam a consumir o canal exclusivamente por causa do serviço. Afinal, não é sempre que podemos ir ao nosso festival favorito. Melhor: não é sempre que podemos ir ao nosso festival favorito e ainda assim dividir as nossas opiniões com uma rede de (milhares de) pessoas na mesma situação que eu. Sim, o stream salva!

Quem faz?

Mas engana-se quem acha que uma transmissão online em tempo real é uma tarefa simples de se fazer. Festivais grandes, como o Rock in Rio, precisam de grande investimento em equipe e conteúdo durante os dias de festival.

São profissionais de novas mídias, jornalistas, fotógrafos, câmeras, entre outros tantos para fazer com que o serviço funcione da melhor forma possível para você se sentir dentro do evento, mas na poltrona de casa.

A equipe de mídias sociais fica em estado de alerta durante o tempo todo. É por lá que o feeling é detectado e, com problemas apontados pelos internautas, buscar uma solução se torna muito mais rápido. No fim, é um trabalho em conjunto entre os profissionais e o espectador.

Facebook, Twitter, Instagram e Snapchat são as principais ferramentas monitoradas.

No Festival de Verão de Salvador 2015, por exemplo, as postagens dos apresentadores Multishow geraram mais de 800 mil views!*

Eles postaram em torno de 50 vídeos que incluíam desde acesso ao palco até palavras dos artistas antes de começarem uma apresentação. O engajamento é tão sólido e grande que nenhum investimento em mídia para amplificar as postagens é feito.

Buzz orgânico = sucesso

Ainda por conta de questões que envolvem contratos e a fins, muitos artistas não liberam a transmissão de seu show ou, quando liberam, é apenas na hora do evento – acervo jamais. Claro que isso esta diminuindo de acordo com o avanço da tecnologia e o próprio Multishow/Bis já possui um canal na web (para assinantes) com o acervo de transmissões catalogados.

https://youtu.be/Yi0uRgHpPso

O streaming é democrático e um prato cheio para amantes de música (e festivais, claro!). É um serviço que já foi adotado pela nossa sociedade consumidora e uma oportunidade única de viajar pelo mundo sem sair do sofá.

É galera, o streaming veio para ficar!

| O Multishow+Bis serão os responsáveis pela transmissão da próxima edição do Tomorrowland Brasil, festival que acontece em abril em São Paulo. Também em SP, mas já neste próximo final de semana, os canais irão transmitir o Lollapalooza Brasil. Fique ligado!|

*Obrigado Bianca Wilbert (Globosat) pela colaboração.

P.S.: Ah! Aproveita e dá uma lida neste case de sucesso que foi a parceria do Lollapalooza Chicago e o Red Bull para transmitir o festival via streaming.