Como a Live Nation tem introduzido novas experiências tecnológicas em shows e festivais

Como a Live Nation tem introduzido novas experiências tecnológicas em shows e festivais

A Live Nation tem nos dado alguns indícios do que podemos esperar para as experiências em shows e festivais nos próximos anos. A empresa controladora da Ticketmaster (e do Rock in Rio) tem apresentado projetos e até mesmo testes nesse segmento e que apontam como a tecnologia modificará alguns processos com os quais já estamos muito familiarizados.

Uma das novidades anunciadas pela Live Nation, por exemplo, é a introdução de reconhecimento facial em seus eventos. Em um comunicado feito ao seu time de investidores, a empresa garantiu que está “investindo em novas tecnologias para diferenciar ainda mais o Ticketmaster de outras empresas no setor de bilheteria”.

A ideia é simples: permitir que o indivíduo apenas entre no evento. O usuário poderá associar seu ingresso digital à sua imagem e, em seguida, simplesmente entrar no show ou festival.

O sistema avançado reconheceria a pessoa sem que ela precisasse parar ou diminuir a velocidade dos passos para fazer esse reconhecimento facial. Aliás, não seria necessário nem mesmo olhar para as câmeras.

A empresa está desenvolvendo o sistema em parceria com a Blink Identity, especialista em tecnologia de reconhecimento facial. Vale lembrar que um sistema semelhante já existe na China, onde é utilizado pela polícia do país no reconhecimento de suspeitos de crimes.

Foto: Blink Identity

Monitorando a sua felicidade

Recentemente, a Live Nation já proporcionou uma experiência um pouco diferente ao público de um show da cantora St. Vincent. A empresa, em parceria com a Cisco, a TBD Labs e uma equipe de neurocientistas, forneceu sensores portáteis da EEG para monitorar os fãs durante a apresentação.

O estudo monitorou a biométrica dos espectadores, a fim de conferir quais são as reações do público durante um show. O resultado, que foi apresentado durante o Cannes Lions deste ano, revelou que conferir uma apresentação ao vivo traz três vezes mais intensidade emocional ao indivíduo que outras experiências, como ouvir um álbum em casa.

Além dos resultados interessantíssimos sobre como nos sentimos em um show – os participantes experimentaram, em média, um aumento de 53% na intensidade emocional medida pelo suor, e mais de 90% experimentou um aumento na atenção e engajamento, e um aumento de cinco vezes no bom-humor – a ideia de distribuir sensores para o público pode ir além de “um estudo”.

Foto: Live Nation

Vale ressaltar também que no começo de 2018, a Live Nation foi a responsável pela transmissão ao vivo e em Realidade Virtual de um show do Coldplay, parte da turnê A Head Full of Dreams, do Coldplay, que aconteceu em Chicago, mas foi visto por pessoas de mais de 50 países, incluindo o Brasil. A transmissão foi feita em parceria com a Samsung.

Esse é mais um tipo de experiência proposta pela empresa, e que imaginamos ser uma grande tendência para o futuro: conferir shows e festivais tendo uma experiência imersiva através da Realidade Virtual, mas sem sair de casa.

A era na qual um par de óculos especial e um aplicativo substituirão um ingresso e uma passagem pode estar bem próxima.

Soraia Alves Por Soraia Alves

Jornalista formada pela UNESP-Bauru. Trabalha com web jornalismo e cultura pop.

Posts Relacionados