10 Artistas Pra Você Se Jogar no EDC Brasil - Pulso

10 Artistas Pra Você Se Jogar no EDC Brasil

Na última Tribaltech cheguei a definir uma relação de shows que eu gostaria muito de ver. Consegui curtir alguns, que me surpreenderam como o do Mathew Johnson e outros que eu queria ver mas acabaram sendo cancelados, como o do Derrick Carter por exemplo e fiquei um pouco frustrado por isso.

No final da noite, sem querer esbarrei com um trio fazendo um belo live. Não sabia quem eram, mas parei, ouvi e comecei a assistir o show (e realmente era um show). Esse trio era o dOP. Confesso que foi um dos pontos altos da primeira noite, não só pela performance, mas talvez pelo fator surpresa. Aquela sensação boa de conhecer algo novo e de ser surpreendido.

Festivais como o EDC são um prato cheio para ver grandes nomes como Tiesto, Skrillex e Above & Beyond, sem dúvidas. Mas também são uma excelente oportunidade para conhecer novos artistas, descobrir novas sonoridades e também algo novo, inusitado, com aquela sensação de voltar para casa de missão cumprida e um belo sorriso no rosto.

Por isso resolvemos reunir aqui no Pulso diferentes atrações não só para vocês, mas para nós mesmos, afinal esse desafio vale para todos. Vocês vão encontrar dicas e sugestões para todos os gostos musicais, do popular ao inusitado, que valem ser exploradas. E o resultado você vê abaixo, pra fazer sua lista e curtir muito nos dias 04 e 05 de dezembro:

Marginal-Men-por-Hick-Duarte-665x444

Marginal Men

Este é aquele famoso momento do “se joga”. Essa dupla carioca faz remixes e mash-ups incríveis de funk com música eletrônica. Querem ouvir? É só entrar no Soundcloud deles. E não, não é um momento conceitual, é um momento divertido. Aquele momento que você junta os amigos, vai para a pista, dança, dá risadas e esquece o lado conceitual da coisa. Música não é para se divertir? Então vai lá e experimente curtir Marginal Men.

destaque-344543-omuu

Omulu

Omulu é outro artista que tem se destacado muito por suas produções inusitadas e divertidas, revolucionando por levar para as pistas faixas inspiradas em ritmos periféricos do Brasil (funk, technobrega, forró, samba entre outros) mixados com electro, hip-hop e trap. Ele é um dos criadores da rasteirinha, novo estilo da música eletrônica com influência do funk carioca e do reggaeton. “Bagulho Doido”, Furdunço e “Vila Mimosa” são aquelas faixas pra você se dançar, pular e se divertir sem parar.

 

Jonas-Rathsman

Jonas Rathsman

Para os amantes de techno e house, essa é uma grande aposta nossa. Jonas talvez seja um dos DJs mais low profile que virão ao Brasil este ano para a EDC, mas isso não significa que ele não esteja na altura dos outros artistas. Muito pelo contrário: dono de uma sonoridade viajante, mas ao mesmo tempo dançante, Jonas foi considerado uma das futuras estrelas da música por Pete Tong (fundador e responsável pelo famoso programa BBC 1 Essential Mix).

luciano-cadenza

Luciano

Luciano é daqueles DJs que garantem boa música e muitas novidades musicais em seus sets com longas mixagens. Ele é residente e criador do selo Cadenza Records e da festa Cadenza Vagabundos, garantindo boas temporadas há muitos anos em Ibiza em clubs como Pacha, DC10 e Ushuaia, além de sua label party Luciano & Friends. Sua música mais conhecida é “Rise Of Angel”. Espere ouvir grandes faixas de techno e tech house em seu set.

florest_1199

 Chemical Surf

O projeto brasileiro, formado pelos irmãos Hugo e Gabriel Sanchez se destacou muito esse ano em todo o Brasil, tocando em grandes clubs e festivais. Eles ganharam notoriedade internacional após assinarem contratos com importantes selos como Toolroom, Bunny Tiger, Kontor e Armada Music. A faixa “Bass”, produzida junto com Illusionize e Sharam Jey foi uma das mais tocadas nas pistas de todo o país esse ano e mostra um pouco do que vamos ouvir no set deles no EDC.
GORGON_CITY

Gorgon City

Um dos shows mais esperados do EDC. Com grandes hits como “My Imagination”, “Intentions” e “Ready For Your Love”, esse duo inglês mistura o garage house com o pop e suas músicas nos remetem a um clima nostálgico meio anos 90.
2149241a_orig

Goldfish

Outro show que é bastante aguardado também. O grupo da África do Sul toca suas músicas dance com elementos de jazz e da música africana, misturando instrumentos acústicos como contrabaixo, saxofones, teclados, flauta e vocais com samplers e sintetizadores, além de uma pitada bem pop e divertida. Eles têm grandes hits como “One Million Views”, “Hold Tight” e “Soundtracks And Comebacks”, além do ótimo remix que fizeram para a clássica “Cantaloop” da banda US3.
526569_10151778229148920_1428531215_n

The Magician

Stephan Fasano, o nome por trás do projeto The Magician foi um dos que mais se destacou nos últimos anos no mercado da dance music depois do remix que fez para “I Follow Rivers”, de Lykke Li. Com hits tocados por DJs do mundo todo como Together”, “When The Night Is Over” e “Sunlight”, espere ouvir um set elegante, com melodias apuradas e uma mistura de deep house, nudisco e indie dance. Em seu Soundcloud, podemos ouvir suas canções e seu podcast Magic Tape.
11082400_10152852618788106_2004485375547054259_o


Grum

Outro nome muito interessante que vai passar pelo EDC. Grum mergulhou dentro da cena disco-house dos anos 2000 e produziu remixes incríveis tanto para artistas populares como outros alternativos. E aqui alguns deles: Pet Shop Boys, Groove Armada, Otto Knows, Cash Cash, Mason, Gareth Emery, Above & Beyond, Chromeo, Sigma, Goldfrapp, Lady Gaga e Passion Pit. Além disso, suas produções são muito características e podemos destacar “The Theme” e “Lightspeed”.

MarcHoule_016_fin

Marc Houle

O alemão que se considera como um live act e não DJ é um dos grandes nomes do techno e do minimal mundial. Com influências do techno de Detroit e Chicago, seus sets são conhecidos por serem bastante criativos, com o uso de muitos vocais e por terem um lado sombrio também. Ele já passou por diversos clubs aqui no Brasil mas é sempre interessante ouvir o set dele.

E fica nosso manifesto: que tal se jogar e experimentar algo novo e diferente na EDC? Depois volta aqui e conta para nós o que conheceu no festival.
> Texto escrito com a colaboração de Alexandre Formagio.

Posts Relacionados